terça-feira, 18 de agosto de 2015

Dorgival Dantas para Ônibus para doar comida

Que o poeta Dorgival Dantas é um grande símbolo de simplicidade e humildade entre os artistas forrozeiros, isso a gente já sabe. Ao longo de sua trajetória de sucesso, que por sinal continua firme e forte, ele já contou várias histórias que merecem ser levadas como exemplo no coração de qualquer ser humano.

DORGIVAL DANTAS - MATÉRIA ANDARILHO 2

Mas, quando a gente pensa que já viu de tudo um pouco, ele  surpreende. Na tarde deste domingo(16) agosto, o forrozeiro foi o responsável por um gesto que pouquíssimas pessoas fazem hoje em dia. Dorgival relatou que sempre teve a vontade de saber como era conversar com um andarilho na estrada. O artista forrozeiro revelou que quando viu que tinha passado por um andarilho na estrada logo disse para seu motorista:  “Bebel, por favor faça o retorno, quero fazer uma coisa que a muito não me sai da cabeça. “Peguei três pães, uma mineral, uns docinhos e retornamos ao encontro dele”.  O fato aconteceu próximo a Tianguá, no estado do Ceará.

Confira na íntegra a história completa compartilhada por Dorgival:

“Sempre quis saber como era conversar com um andarilho de estrada. Vindo de Teresina já próximo de Tianguá, quando aparece um.
O ônibus passou por ele, eu estava na cabine vi aquela cena, e também a oportunidade de fazer o que sempre tive vontade.

Parar, oferece-lhe algo como uma garrafa de água, alguma coisa de comer e se possível, perguntar nem que seja seu nome. Assim fiz, disse para um de nossos motoristas; Bebel, por favor faça o retorno, quero fazer uma coisa que a muito não me sai da cabeça. Peguei três pães, uma mineral, uns docinhos e retornamos ao encontro dele. Quando ele vinha, me aproximei dele e disse, Oi. Ele parou, ficou me olhando, e eu disse:

Pegue, é água e comida pra você. Ele recebeu e eu fiquei esperando ele dizer qualquer coisa, mas o mesmo continuou calado.
Ja ia saindo quando resolvi lhe perguntar:

Qual é o seu nome?


Ele falou, me respondeu, mas não deu pra entender o que ele disse. Uma voz assim como se tivesse desaprendido a falar. Senti dor, fiquei com muita pena. Ele saiu, fiquei olhando ele indo embora, e até agora, aqui pensando, como pode alguém viver assim, só, andando pelo mundo como se não tivesse importância nenhuma pra ninguém. Paramos agora pra almoçar, eu continuo triste e pensando na cena, que DEUS proteja todos que não tem teto nem comida, e toque mais nos corações de quem puder ajudar. Pedi para que batessem essa foto para que eu nunca esqueça desse dia, que acredito que não fiz isso só porque eu quis, teve no mínimo a permissão de DEUS, e talvez um propósito bem maior que qualquer um de nós aqui pensar…" 16/08/2015.


-Portal Mais Forró

0 comentários:

Postar um comentário